Alfredo Almeida prega 'fim do nepotismo' e defende 'libertação de Maués'

O candidato a prefeito de Maués do PL pregou alternativas viáveis para o desenvolvimento do município.

Alfredo Almeida prega 'fim do nepotismo' e defende 'libertação de Maués' Notícia do dia 23/09/2020

O ex-deputado estadual, Alfredo Almeida (PL), candidato a prefeito de Maués conseguiu reunir a oposição em torno do seu nome para disputar as eleições. Com ele estão 13 partidos políticos: PL, Patriota, PRTB, PSB, PSDB, PMN, PDT, DEM, PP, Avante, Psol, PC do B, Podemos.

Alfredo apresentou, em convenção realizada no restaurante Sabor do Campo, na semana passada, a vereador Marcelly Veras, como sua vice-prefeita na chapa. Marcelly faz oposição ao prefeito Junior Leite na Câmara de Maués.

O candidato a prefeito de Maués do PL pregou alternativas viáveis para o desenvolvimento do município.

“Crescimento econômico, geração de emprego e renda, combate a corrupção e ao clientelismo, compromisso com a educação e a saúde de qualidade são o resumo do programa de governo da chapa Aliança Por Maués. Com base em estudos, debates com a população e diagnósticos da problemática municipal, principalmente, sobre os gargalos impeditivos do desenvolvimento, o plano de governo foi construído democraticamente”, afirmou.

Com críticas a atual gestão, Alfredo Almeida disse que Maués perdeu o protagonismo na produção do guaraná.

“ Maués apresenta estagnação econômica há mais de duas décadas. O resultado disso é a perda no protagonismo na produção de guaraná, a perda da arrecadação própria no total da receita anual pela Prefeitura, servidores públicos mal remunerados e trabalhando em péssimas condições e o aumento do número de trabalhadores informais (desprotegidos) e mais da metade da população sobrevivendo com menos de R$ 500,00 por mês”, aponta o candidato a prefeito do PL.

Segundo Alfredo Almeida a chapa “Aliança por Maués” defende o compromisso com a qualidade de vida da população, criticou o clientelismo e condenou o que ele chamou de nepotismo: a chapa Junior Leite e Sérgio Mazzini.

“Na disputa uma chapa de candidatos resultado do debate e da consulta popular, do lado oposto uma chapa imposta por interesses familiares, composta por tio e sobrinho, pois o poder deve ser mantido na família, uma vez que se reeleito, há a possibilidade de renúncia em 2022 para haver a candidatura a deputado estadual”, escreveu Alfredo, em suas redes sociais.